Nós, rápidos, esquecemos de esperar o outro e nos esperar. Não paramos, principalmente no que se refere aos nossos pensamentos.

Mas, nessa velocidade, passamos por cima de muita coisa. Ferimos e nem percebemos, ignoramos sentimentos, transformamos ideias em certezas, destruímos o que é calmo, o que precisa de tempo.

Por mais que sejamos inerentemente apressados, nem tudo cabe pressa. Saibamos onde colocá-la. Se dê tempo e dê tempo ao outro.

Algumas coisas precisam ser pensadas, amadurecidas, mesmo que já se tenha a resposta. Não diga o que pensa tão rápido pois sua certeza pode se tornar incerteza no outro dia e causar arrependimentos.

Respire, medite, ore, nade, acalme. Deixe pra usar sua rapidez quando for requisitada e não se preocupe, será bastante. Enquanto isso se dê oportunidade para estar presente e olhar com clareza as situações.

Escrito por Sarita Deoli

Nordestina, advogada e graduanda em psicologia. Criou o Brutamor para discorrer sobre a natureza humana, seu tema preferido. Acredita no valor do autoconhecimento e conhecimento. E também na cura. Tem mais esperança do que tinha antigamente e insiste que não está aqui só de passagem. Sua matéria-prima é o amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: