É triste pra mim escrever essa frase porque é horrível fazer o que não gosta. E o não gostar pra mim é intenso, não é meramente um não gostar, é um não suportar mesmo. Mas vivendo eu fui vendo que sempre vai ter aquilo que a gente não gosta, em algum lugar, em algum momento e o que não dá mesmo é pra ter uma coisa que não gosta o tempo inteiro do seu lado.

Mas pra sair desse não gosta eterno, às vezes temos que entrar em um não gostar temporário, mas que é mais pesado ainda. E a gente resiste e resiste já que talvez nem aguente um mal pior ainda. Tem que estar muito seguro e bem consigo mesmo pra pular esse obstáculo, sabendo de todos os demônios que vai encontrar pela frente.


Tenho percebido que talvez valha a pena: correr o risco, se machucar, não suportar. Tudo é a perspectiva que a gente dá. O monstro pode parecer maior do que realmente é se a gente não estiver disposto a enfrentá-lo. Quando percebemos que tem tanta gente enfrentando batalhas do nosso lado, podemos considerar que somos apenas guerreiros também.

Escrito por Sarita Deoli

Nordestina, advogada e graduanda em psicologia. Criou o Brutamor para discorrer sobre a natureza humana, seu tema preferido. Acredita no valor do autoconhecimento e conhecimento. E também na cura. Tem mais esperança do que tinha antigamente e insiste que não está aqui só de passagem. Sua matéria-prima é o amor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: